E já está próximo o fim de todas as coisas; portanto sede sóbrios e vigiai em oração. (1 Pedro 4:7)

quarta-feira, 25 de maio de 2011

O Sinal da Besta Será Visível

O professor Oliver Kalthoff fala sobre novidades tecnológicas e sua interpretação no contexto dos acontecimentos do livro do Apocalipse.
       O Prof. Dr. Oliver Kalthoff (40), é especialista em sistemas de gerenciamento de software. Desde 2002 ele dá aulas sobre Sistemas Distribuídos e Telemedicina no curso de Informática na Medicina da Faculdade de Heilbronn (Alemanha). Ele foi responsável pela avaliação técnica da introdução do prontuário eletrônico na região de Heilbronn. Rolf Höneisen entrevistou-o para a revista suíça factum, conversando com ele sobre o sinal da besta.
       Factum: Prof. Kalthoff,  a visão do futuro da internet desperta medo entre os cristãos. Discute-se até que ponto os progressos desse setor  são alimentados por poderes anticristãos que desejam assumir o controle total sobre a humanidade. O senhor não é apenas um especialista na área tecnológica, mas também um conhecedor da Palavra bíblica. Qual é a sua avaliação? A tecnologia por trás da internet também tratá consigo o temido sinal da besta de Apocalipse 13, versículo 16 a 18?
         Oliver Kalthoff: É importante classificar as coisas de forma correta. A maior parte do livro do Apocalipse trata de eventos futuros, incluindo acontecimentos depois da era da Igreja. O capítulo 13 do livro situa-se na Tribulação. Podemos compará-la com a septuagésima semana de Daniel 9.24-27. Nesse momento, a Igreja de Jesus Cristo já terá sido arrebatada. É disto que Paulo fala em l tessalonicenses 4.16-17. Um analise mais acurada mostra que os versículos 16 a 18 do capítulo 13 de Apocalipse estão na segunda metade da Tribulação. Será a época em que a primeira e a segunda besta terão atingido o pico do seu poder. Satanás já estará pessoalmente presente na terra , veja Apocalipse 12.7 a 9.  O “homem do pecado” só poderá desenvolver poder e força totais depois do Arrebatamento.
        Factum: Além do Arrebatamento, que gera controvérsias nos debates sobre o momento em que acontecerá, há outros indicativos de que os cristãos têm poucos motivos para temer o sinal da besta?
      Kalthoff: Sim, há. Basta analisar os detalhes do texto do Apocalipse. O versículo 16 começa com “A todos (…) faz que lhes seja dada...”. Pelo contexto percebemos que este texto fala da segunda besta. Essa segunda besta leva a todos aceitarem um sinal colocado na mão direita ou na fronte. A segunda besta é uma pessoa que se levantará em Israel. Essa pessoa não temerá o Deus dos seus pais, como lemos em Daniel 11.36 a 39. É o “rei, feroz de cara” de Daniel 8.23 (RC). Ele executará exatamente aquelas maravilhas pedidas pelos judeus, que Jesus não realizou. Como a segunda besta fará até mesmo descer fogo do céu diante dos homens na terra, será confirmada como profeta e líder religioso. Jesus falou disso em João 5:43.
        É preciso lembrar que Elias foi reconhecido como profeta devido aos sinais em que fez cair fogo do céu (l Reis 18.36-38; 2 Reis 1.9-12).
        Factum: Isto significa que o sinal da besta tem uma ligação com religião?
      Kalthoff: Num primeiro momento, sim. O versículo 16 possui caráter religioso. Todos os que aceitarem o sinal o farão de forma voluntária e convicta. Qualquer pessoa que carregar o sinal sublinhará assim a sua devoção e dedicação à primeira besta.
        Mesmo durante a Tribulação haverá crentes que reconhecerão o real significado do sinal, e não aceitarão recebê-lo. Eles saberão que todo aquele que tiver o sinal estará declarando a sua lealdade ao Anticristo e, assim, sua oposição a Deus. No momento da aceitação, os portadores do sinal estarão se entregando ao juízo de Deus e à perdição eterna.
        Factum: O sinal também está relacionado a um contexto econômico. De acordo com o texto do Apocalipse, quem não aceitar o sinal será excluído da vida econômica.
    Kalthoff: Sim. Além do significado religioso, o sinal também tem um significado econômico. Não portar o significado econômico. Isso significa que durante a Tribulação os crentes não serão apenas perseguidos por sua fé, mas também não poderão comprar nem vender. Os crentes que persistirem durante esse tempo e permanecerem no Senhor entrarão n Reino de Mil Anos.
       Factum: Desde que surgiu o computador, para armazenamento de dados, desconfia-se dos sistemas de identificação. Há cristãos que temem que hoje já estão sendo submetidos a um tipo prévio de sinal, um protótipo do que será no futuro o real sinal da besta. Há alguma justificativa para esse medo?
       Kalthoff: Como já disse, na minha opinião essa posição é contrária ao ensino bíblico, que diz que as pessoas aceitarão o sinal de forma consciente, e apenas na época da Tribulação. Também contradiz declarações de Romanos 8. Paulo está convicto de que nada nos pode separar do amor de Cristo e que “em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por meio daquele que nos amou” (v.37).
        Factum: Vamos falar da forma do sinal. Com base nas conquistas tecnológicas atuais, que aparência ele poderia ter hoje em dia?
         Kalthoff: A Bíblia diz que o sinal – em grego charagma, que significada afiar, entalhar, sinal, carimbo ou imagem gravada – será aplicado na mão ou na fronte. Trata-se, portanto,  de um sinal visível. A Bíblia não fala nada sobre a durabilidade do sinal. Mas podemos deduzir que as pessoas carregarão esse sinal de forma permanente e visível. Isso contradiz, por exemplo, a ideia de uma injeção involuntária sob a pele.
        Quero advertir contra a tentação de interpretar novidades tecnológicas – em especial na área de microchips que funcionam com ondas de rádio – à luz de um entendimento próprio da Bíblia. Os cristãos são chamados à razão e à sensatez. Sensacionalismo não faz parte da vida do cristão.
      Factum: Há anos circulam panfletos que suspeitam que o sinal da besta esteja escondido nos códigos de barras dos produtos. A justificativa é que aparentemente é possível detectar o número 666 no código. Apesar de contestações claras – inclusive na revista factum – essa especulação insiste em sobreviver e agora se transfere para a tecnologia de chips RFID (sigla em inglês para “Identificação por Rádio Frequência”), que estão começando a substituir os códigos de barras. O senhor se opõe a esse tipo de interpretação das novas tecnologias de vigilância. Por quê?
     Kalthoff: O amadurecimento das tecnologias de viigilância de acordo com a intenção de Satanás só acontecerá no tempo devido. Qual inovação tecnológica nos empurrará amanhã para os braços de Satanás? Será que responder a essa pergunta é realmente tarefa dos cristãos? Penso que a tarefa dos cristãos é muito mais obedecer à Palavra de Deus, e não fazer especulações malucas. Como cristão devo levar adiante a vida e os ensinos da verdade do Evangelho. Minha vida deve ganhar pessoas para Jesus Cristo e para a vida eterna na Glória. É claro que o objetivo declarado de Satanás é desviar os crentes desse caminho. Por isso, nestes últimos dias, não devemos nos deixar distrair ocupando-nos com inutilidades.
    Factum: Muito obrigado pela entrevista. (Rolf Höneisen)

Fonte: Revista Chamada da Meia-Noite.
Janeiro de 2011 / ano 42 / nº 01

3 comentários:

  1. AFINAL,O CHIP,É OU NÃO É O SINAL DA BESTA?POIS,ELA SERA COLOCADA NA MÃO DIREITA DE ACORDO MUITAS ENTREVISTAS SOBRE O CHIP NO CANAIS DE TV.ESTÁ ESCRITO:AP 13 V 16:"E FEZ QUE A TODOS,PEQUENOS E GRANDES,RICOS E POBRES,LIVRES E ESCRAVOS,LHES FOSSE POSTO UM SINAL NA MÃO DIREITA OU NA FRONTE".POR FAVOR ME TIREM ESTA DUVIDA.QUE DEUS OS ABENÇOE.

    ResponderExcluir
  2. esse sinal tem haver com o mondex, criado nos
    Estado Unidos

    ResponderExcluir
  3. Acredito que o chips colocado na mão direita ou na festa,é o sinal da nesta como esta escrito na Bíblia,, não é coincidência é fato.

    ResponderExcluir

Comente, queremos saber sua opinião.
Deus te abençoe e não te esqueças, Jesus vem!